TI verde já é essencial

Cerca 95% dos executivos sêniores de TI afirmaram estar pelo menos discutindo uma estratégia de TI verde, segundo dados da Pesquisa Symantec 2009 sobre o tema. No Brasil, 51% dos entrevistados disseram que já possuem estratégias de TI verde implementadas e 38% estão começando a falar sobre o assunto.

A Symantec acredita que resultados do estudo indicam que os executivos de TI demonstraram grande interesse por estratégias e soluções de TI verde, não só por conta da redução de custos trazida por iniciativas dessa natureza, mas também como parte das iniciativas de responsabilidade sócio-ambiental da instituição.

O estudo contou com 1.052 participantes nos Estados Unidos, Canadá, França, Itália, Inglaterra, Brasil, México, Austrália, Índia, Japão, Singapura, Malásia, Coréia do Sul, Nova Zelândia e China.

De todos os entrevistados, 45% disseram já ter implementado iniciativas de TI verde. Na América Latina, 29% dos entrevistados confirmam a implementação de estratégias de TI verde na empresa.  No Brasil, 73% das empresas afirmam possuir um plano para implementação de iniciativas “verdes”.

Os participantes citaram como principais fatores a redução do consumo de energia elétrica (90%), diminuição dos custos com resfriamento (87%) e o fato do mercado cada vez mais  exigir que as empresas sejam “verdes” (86%).

Além disso, 83% dos participantes já é responsável ou pelo menos parcialmente cobrados pela energia elétrica consumida no data center – sendo exigido que utilizem novas formas de contabilidade a fim de otimizar o consumo final desses recursos. Para 94% dos entrevistados no Brasil, a eficiência energética das soluções é um aspecto que será cada vez mais importante na hora de escolher os fornecedores.

Mais dinheiro para o “verde”

A conseqüência do crescimento da importância dada  pelos executivos a TI verde, é o aumento significativo no orçamento para iniciativas relacionadas a boas práticas ambientais. No ambiente global, 73% dos participantes esperam um aumento nos orçamentos para TI verde ao longo dos próximos 12 meses. No Brasil, este percentual sobe para 78%, média igual a da América Latina.

Os entrevistados típicos afirmaram gastar entre US$ 21 e 27 milhões com as contas de consumo elétrico do data center. Porém, ao mesmo tempo concluiu-se que o segmento de TI está disposto a pagar mais por produtos eficientes no consumo de energia. Dois terços dos participantes disseram estar dispostos a pagar pelo menos 10% a mais, enquanto 41% estariam dispostos a pagar pelo menos 20% a mais.

Principais iniciativas

A substituição de equipamentos antigos é a estratégia mais popular entre eles, com 95% dos participantes apontando os novos equipamentos eficientes no consumo de energia como parte de suas estratégias verdes, seguido pelo monitoramento do consumo de energia (94%), virtualização de servidores (94%) e consolidação de servidores (93%).

Além disso, mais da metade (57%) dos participantes enxerga o SaaS (Software as a Service) como uma boa alternativa “verde”.