Sindicato nega proposta de 6,2% de aumento no salário de TI

Na terceira rodada de negociação, realizada nesta quinta-feira, o Sindpd apresentou uma contraproposta de 11,9%

Até o momento, não existe uma decisão sobre o valor de reajuste anual que será aplicado aos salários dos profissionais que atuam na área de TI (tecnologia da informação) do estado de São Paulo. Na terceira rodada de negociação, realizada nesta quinta-feira (27/1), o Sindpd (Sindicato dos Trabalhadores de Tecnologia da Informação) recusou a proposta de 6,2% de aumento salarial para a categoria em 2011, apresentada por representantes do Seprosp (Sindicato das Empresas de Processamento de Dados e Informática do Estado de São Paulo).

O  novo valor proposto pelo sindicato patronal está 0,2% acima do que tinha sido apresentado na última reunião, realizada semana passada. No entanto, o Sindpd informa que o valor ainda está longe do esperado e apresentou uma contraproposta de 11,9%. Para chegar a essa porcentagem, o sindicato se baseou no fato de que o desempenho do setor de TI em 2010 foi excelente no País e que as perspectivas para este ano são ainda melhores.

Ainda de acordo com o presidente do Sindpd, Antonio Neto, o sindicato só deve iniciar as discussões salariais com os representantes das empresas de TI quando a proposta atingir o índice de inflação medido pelo IBGE, de 6,47%. Abaixo desse valor, não haverá negociação, segundo Neto.

“Esperamos chegar a um acordo até, no máximo, 20 de fevereiro, para que o reajuste seja aplicado à folha de pagamento do próximo mês”, prevê Neto, que acrescenta: “Esperamos chegar a um acordo que seja bom para funcionários e empresários”.

Entidade pede ainda a criação de pisos salariais para analistas, programadores e gerentes

fonte: Sindicato nega proposta de 6,2% de aumento no salário de TI