Segurança da informação exige atenção dos hospitais

Mobilidade e acesso remoto a informações do paciente exigem que hospitais reforcem a segurança em suas redes e busquem sistemas mais seguros

Existe uma preocupação muito grande com segurança da informação por parte dos hospitais, porém, o grande problema é que mesmo possuindo equipes de TI extremamente competentes a segurança dessas informações não dependem somente das instituições, mas também dos fornecedores de sistemas.

“Boa parte dos ataques ocorridos são nos próprios softwares e não nas redes, ma vez que é mais fácil atacar o sistemas onde há maior probabilidade de se encontrar falhas, pois o próprio sistema irá me prover os dados buscados. Por esse motivo é preciso que o provedor do sistema também tenha uma preocupação com a segurança”.

Se segurança não fosse algo extremamente critico e os softwares trabalhassem em um ambiente seguro, talvez uma simples ferramenta de criptografia e sistemas de usuário e senha resolveriam o problema, mas quando se trata de mobilidade e acesso web as instituições de saúde estão disponibilizando todo esse sistema para o mundo, o que significa ser atacado em escala global. “É uma escala muito maior de risco, pois há uma maior possibilidade de ataques uma vez que essa escala torna-se mundial. Uma pessoa de outro pais pode entrar em sua rede simplesmente para dizer que o sistema é falho”.

Existe dois pontos fundamentais para a segurança das informações: primeiro, não basta ter uma equipe de TI competente, é preciso ter um sistema confiável e frequentemente atualizado. O segundo ponto é sempre trabalhar em cima de riscos para avaliar todos os tipos de falhas e ataques que seu sistema pode sofrer. “Segurança é algo que deve estar na cabeça do hospital e também do fornecedor de tecnologia”

fonte: Segurança da informação exige atenção dos hospitais