Nunca senti o peso de tentar ser Steve Jobs, diz CEO da Apple

O CEO da Apple, Tim Cook, foi a grande atração do primeiro dia da conferência d10, promovida pelo site All Things D.

Em sua primeira entrevista pública desde que assumiu o comando da empresa de Cupertino, em agosto do ano passado, Cook falou sobre questões polêmicas, como a fabricação de produtos da Apple na China e as brigas envolvendo patentes em que a empresa está envolvida, além de sua visão do mercado e da relação com Steve Jobs. Ele afirmou aos jornalistas Walt Mossberg e Kara Swisher que aprendeu muito com Steve Jobs e o dia em que o cofundador da Apple morreu foi um dos mais tristes da sua vida.

“O que eu aprendi com Steve? Poderia ficar aqui a noite toda. Eu aprendi que foco é fundamental, tanto em uma empresa quanto na sua vida pessoal. Que você só pode fazer coisas incríveis e deixar de lado todo o resto. Eu aprendi que possuir a tecnologia é importante, mas para fazer coisas incríveis você não pode aceitar o bom, somente o melhor”, disse. Segundo ele, essa cultura de excelência está incorporada na companhia.

Cook fugiu de comparações entre o seu trabalho e o de Steve Jobs. “Steve era um gênio e um visionário. Ele é uma pessoa insubstituível. Eu nunca senti o peso de tentar ser Steve. Não é quem eu sou e não é meu objetivo de vida”, afirmou.

Polêmicas: China e patentes
Cook afirmou que a Apple deve se tornar muito mais sigilosa com relação aos seus produtos. Por outro lado, o executivo garantiu que deve aumentar a transparência na relação com seus fornecedores e nas questões ambientais. Ele afirmou que a Apple optou por terceirizar a fabricação de produtos há 10 anos porque outras empresas poderiam fazer isso “tão bem ou melhor”.

Sobre as recorrentes críticas à fabricação de produtos da Apple na fábrica da Foxconn, na China, alvo de denúncias sobre exploração de funcionários, Cook disse que a Apple vem trabalhando para reduzir as horas extras, mas a situação é complexa. “Algumas pessoas querem trabalhar muito. Eles querem mudar e trabalhar por um ano ou dois e depois voltar para sua aldeia e levar o dinheiro, tanto quanto puderem”, disse.

Perguntado sobre a possível fabricação de produtos da Apple nos Estados Unidos, Cook afirmou que isso já acontece. “Pouca gente sabe, mas os motores do iPhone e do iPad são fabricados em Austin, nos Estados Unidos. A tela de vidro é feita em uma fábrica de Kentucki”, disse.

Cook disse que as inúmeras brigas por patentes em que a companhia está envolvida é “um pé no saco”, mas que a Apple não pode se dar ao luxo de pintar um quadro e vê-lo assinado por outros. “Nós só queremos que as outras pessoas inventem suas próprias coisas”, disse.

O CEO da Apple garante que a companhia nunca processou nenhuma empresa por patentes essenciais de telefonia. “Se você somar todo o dinheiro que as pessoas acreditam que devem por essas patentes, ninguém poderia se dar ao luxo de estar no negócio de telefonia”, afirmou.

As falhas no Siri
Cook minimizou as críticas que a Apple vem recebendo por falhas no Siri, o assistente pessoal de voz do iPhone 4S. Enquanto consumidores reclamam que o aplicativo não funciona na maior parte do tempo, Cook afirmou que “é um dos recursos mais populares do iPhone”. “Mas há mais que podemos fazer e nós temos um monte de gente trabalhando nisso. E eu acho que você vai ficar muito feliz com algumas das coisas que você vai ver ao longo dos próximos meses sobre o assunto. Temos algumas idéias frescas sobre o que Siri pode fazer. Temos muita coisa acontecendo sobre isso”, afirmou.

O sucesso do Siri, segundo Cook, vem do fato de que o aplicativo tem uma personalidade. “Eu acho que o Siri provou que as pessoas querem se relacionar com o telefone de uma maneira diferente”, avaliou.

O mercado de smartphones e tablets
Cook disse que não pode afirmar que domina o mercado de smartphones, mas que a Apple tem o melhor aparelho. “Existem dois grandes: Android e iOS. Windows Phone está apenas chegando ao mercado, vamos ver o que eles fazem”, disse. Cook explicou por que a Apple lança apenas um modelo de iPad e um modelo iPhone por vez, ao contrário do que faz com Macs e iPods, por exemplo. “Nossa estrela do norte é fazer o melhor aparelho”, disse.

Questionado sobre a estratégia da Microsoft, com o lançamento do Windows 8, que irá unificar sob a mesma plataforma tablets e PCs, Cook questionou a convergência da empresa de Redmond. “Eu amo a convergência, eu acho importante em muitas áreas. Mas os produtos precisam de compensações, você tem que escolher. Quanto mais você olha para o tablet como um PC, mais a bagagem do passado vai afetar o produto”. disse.

“Eu disse que o mercado de tablets iria superar o mercado de PC, e acho que muitas pessoas riram. Conforme o tempo passa, o mercado vai ficando cada vez mais assim”, afirmou. “Nós não inventamos o mercado de tablets, nós inventamos o tablet moderno.”

A TV da Apple
Cook se negou a adiantar o que será anunciado no tradicional evento da Apple para desenvolvedores, o WWDC, que acontece em 11 de junho e alguns rumores apontam para o lançamento de uma TV da Apple. “Por anos estivemos focados em inovação. E eu nunca vi – coisas que eu não posso falar hoje – essa essência fluindo assim”, afirmou. “Nós vamos lançar coisas grandiosas. Eu acho que você vai amar”, respondeu ao jornalista Walt Mossberg.

Cook, porém, afirmou que a Apple tem um grande interesse no mercado de TVs, mas não deu pistas sobre como a empresa pode investir nesse mercado. Ele disse apenas que a companhia vai “esticar a corda” da atual Apple TV e ver onde isso leva a companhia.

“Gostamos de olhar não apenas nesta área, mas também em outras áreas, e perguntar se podemos controlar a tecnologia. Podemos dar uma contribuição significativa para além do que outros têm feito nesta área? Podemos fazer um produto que todos nós queremos? Essas são todas as perguntas que eu faria sobre qualquer nova categoria de produto”, disse.

A conferência All Things Digital
A D10 é a 10ª edição do tradicional evento realizado pelo site All Things D e que reúne anualmente grandes nomes da tecnologia. O cofundador da Apple Steve Jobs já participou diversas vezes da conferência. Na mais memorável delas, Jobs subiu ao palco com o fundador da Microsoft, Bill Gates, em um dos raros momentos em que os dois executivos apareceram juntos.

D10 recebe também os CEOs do Skype, Tony Bates, do Spotify, Daniel Ek, da Oracle, Larry Ellison, do Zynga, Mark Pincus e do LinkedIn, Jeff Weiner. Executivos importantes de empresas como Pixar e Visa também estarão presentes, além do prefeito de Nova York, Michael Bloomberg.

 

 

fonte:Nunca senti o peso de tentar ser Steve Jobs, diz CEO da Apple