Mais tempo e mais dinheiro

Mais do que garantir uma boa poupança ou otimizar a agenda, aprenda a juntar as duas coisas e fazer seu tempo e seu dinheiro trabalharem para você

O que você faria se tivesse mais tempo e mais dinheiro? Provavelmente, você já tem algumas respostas na ponta da língua e pode até estar pensando que um só deles bastaria para realizar seus sonhos: fi car mais horas com a família ou juntar alguns milhares de reais para comprar uma casa, por exemplo. Mas, saiba, qualquer que seja seu projeto de vida, você precisará de uma boa dose de ambos. Tanto na carreira como nas fi nanças pessoais, o sucesso de seus planos depende do uso inteligente (e efi ciente) de tempo e dinheiro. Esta é a tese do livro Mais Tempo, Mais Dinheiro (Editora Thomas Nelson), escrito por Gustavo Cerbasi e Christian Barbosa, que chega às bancas neste mês.

Os autores são referências em suas respectivas áreas de trabalho. O paulistano Gustavo Cerbasi, de 35 anos, é colunista de VOCÊ S/A e um dos principais especialistas de finanças pessoais do Brasil. Gustavo é autor de nove livros, entre eles Casais Inteligentes Enriquecem Juntos (Editora Gente), que já vendeu mais de 730 000 exemplares. O santista Christian Barbosa, de 30 anos, desenvolveu um software de gestão de tempo usado por mais de 100 000 pessoas em 29 países, tem cinco livros publicados e é dono de um dos maiores bancos de dados sobre produtividade do mundo. No mês passado, a Microsoft o premiou como um dos melhores parceiros de desenvolvimento de sistemas da América Latina. Ambos são exemplos de como buscar uma vida equilibrada usando tempo e dinheiro a favor. “Não basta querer ter muito dinheiro ou horas de sobra na agenda se não houver uma motivação maior por trás disso”, diz Gustavo, que abraçou a carreira de escritor e hoje trabalha três dias por semana. “É preciso criar metas e fazer um bom uso dessa conquista, para que valha a pena”, afirma Christian.

Juntos, Gustavo e Christian formularam um método para ajudar as pessoas a organizar as finanças pessoais e as atividades profissionais. A base desse método é o planejamento. Segundo eles, o segredo é conhecer suas principais aspirações pessoais. Depois, é preciso mergulhar fundo no seu comportamento e descobrir em que você gasta seu dinheiro e tempo. Feito o diagnóstico, a recomendação é: comece a defi nir prioridades, fazer escolhas e eliminar as barreiras à produtividade pessoal e à poupança familiar. São esses três fatores que garantirão o bem-estar no futuro e a segurança para tomar decisões mais ousadas de carreira e de investimentos, criando um ciclo virtuoso, que os autores chamam de ciclo da prosperidade.

De acordo com Gustavo e Christian, todo mundo vive dentro de um ciclo, dependendo da relação estabelecida com o tempo e o dinheiro. Ou seja, você é resultado das escolhas que faz no uso desses recursos — se poupa ou se gasta, se trabalha muito ou se reserva um horário para o estudo. Além do ciclo da prosperidade, há também os ciclos da frustração e o da sobrevivência. Entender os ciclos é o primeiro passo para você perceber a que distância está da realização de seus sonhos. “O que determina em que ciclo se está é o equilíbrio”, diz Christian. “Ter muito dinheiro ou muito tempo não signifi ca que se está prosperando.”

Durante a produção desta reportagem, foram enviados ao site de VOCÊ S/A quase 1 000 histórias de leitores que se inscreveram para receber consultorias exclusivas de Gustavo e Christian. A constatação: a grande maioria dos casos enviados à redação relata problemas sérios na gestão de tempo e de dinheiro, com muitas histórias de dívidas, tarefas atrasadas, ou ambas. “O brasileiro está no ciclo da sobrevivência ou da frustração porque não temos a cultura do planejamento”, diz Gustavo.

Alguns sinais deste ciclo

• Queda na qualidade de vida, de produtividade e das finanças.
• Aumento do nível de estresse.
• Dificuldade para definir prioridades e metas.
• Falta de equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.
• Sensação de estar deixando coisas importantes para trás.
• Revolta em relação à sua condição de vida.
• Dificuldade de tomar decisões e fazer escolhas.
• Dificuldade de planejar no curto, médio e longo prazo.
• Sensação de tristeza ao ir para o trabalho.

CICLO DA SOBREVIVÊNCIA
O ciclo da sobrevivência se caracteriza pela falta de evolução. Há um controle limitado sobre trabalho e fi nanças. A pessoa tem um emprego estável e é capaz de pagar suas contas. Porém, falta uma estratégia para gerir tempo e dinheiro. Pode ganhar bem, mas trabalha muito. Pode ter tempo, mas não o utiliza para desenvolver a carreira. O risco para quem apenas sobrevive é que basta um contratempo que represente gastos extras ou mudança de rotina para fi car no limite entre a sobrevivência e a frustração. A história da engenheira paulista Marinna Prior Silva, de 29 anos, supervisora de calibração da Ford, ilustra bem esta questão. Marinna já tentou diversas ferramentas, como Outlook ou agendas para se organizar, sem sucesso. “Meu principal problema é a dificuldade de planejamento”, diz. Não é raro ela levar trabalho para casa, até mesmo nos fi ns de semana. Marinna está às vésperas do casamento, o que tem aumentado ainda mais as urgências, já que precisou encaixar os preparativos nos fins de semana. Em relação à gestão financeira, a engenheira sempre manteve a linha e conseguia investir, com a ajuda de um software que facilitava a gestão do orçamento. Mesmo com as contas em dia e certa reserva, fruto dos seus investimentos, Marinna vive no ciclo da sobrevivência. A parte fi nanceira está em dia, mas a gestão do tempo faz com que ela viva apagando incêndios. “As urgências são para a gestão do tempo o que os juros são para a gestão financeira”, diz Christian.

CICLO DA PROSPERIDADE

O ciclo da prosperidade é reservado às pessoas que fazem uso racional e adequado do tempo e do dinheiro, de maneira sustentável. Ou seja, ao longo do tempo, a pessoa consegue garantir bem-estar pessoal e qualidade de vida sem diminuir suas reservas. Quem vive neste ciclo também tem problemas com imprevistos, mas, quando aparecem, são driblados com certa tranquilidade. Quem vive no ciclo da prosperidade é Lorise Costa, de 36 anos, gerente de desenvolvimento de produto do Informa Group, empresa de São Paulo que organiza congressos e treinamentos para executivos. Para chegar lá, Lorise precisou romper com uma rotina que a fazia trabalhar 12 horas por dia. Fez isso matriculando-se em um curso de pintura, que a obrigou a sair do escritório sempre na mesma hora. Percebeu, então, o quanto de tempo desperdiçava com conversas no café e reuniões improdutivas. O salto de produtividade deu mais visibilidade ao seu trabalho. Hoje, com um fi lho de 3 anos, Lorise trabalha oito horas por dia, acha tempo para se reunir com os amigos, viajar e fazer cursos. “As metas claras me ajudaram a ter tempo e a gerenciar meu dinheiro para o que é importante para mim”, diz Lorise.

Alguns sinais desse ciclo

• Controle do tempo e do dinheiro, com foco no que é importante.
• Facilidade para tomar decisões.
• Equilíbrio entre vida pessoal e profissional.
• Planejamento de carreira, vida e finanças, com metas e planos de ação definidos.
• Uso consciente do dinheiro, com reservas para investimento.
• Aumento perceptível do patrimônio.

COMO AVANÇAR NOS CICLOS
O tempo e o esforço necessários para passar de um ciclo a outro dependem de suas escolhas e dedicação a esse projeto. O segredo, segundo Christian e Gustavo, é ter um método. No livro, os autores propõem um programa com quatro passos para ajudar a traçar um plano para aumentar o patrimônio e ter tempo para usufruir dele.

1. Descubra o que é importante. Quem identifica isso com clareza consegue ser mais produtivo no trabalho e ter mais tempo livre para as coisas que gosta. “Se o importante não ficar claro, maiores as chances de fazer coisas erradas, que só desperdiçam tempo e dinheiro”, diz Christian.

2. Pare com o que não traz retorno. Ao definir o que é importante, evite as tarefas que não ajudam a construir riqueza ou a ganhar tempo. É a hora de focar e, quem sabe, trabalhar 16 horas por dia, para zerar pendências e pegar mais leve depois. Eficiência é fundamental para cortar o que não interessa ou o que desvia você do que é importante.

3. Planeje o equilíbrio. A palavra planejar muitas vezes gera uma sensação de rigidez. No entanto, a partir dessa etapa as peças começam a se encaixar. Definir objetivos e projetos de curto, médio e longo prazo e criar tarefas que levem até eles aumentam a chance de concretizá-los.

4. Melhore a qualidade de consumo. Após cumprir todos os passos, você já tem um uso efi ciente de tempo e dinheiro. É possível, então, entrar de vez no ciclo da prosperidade, buscando atividades que proporcionem bem-estar. “Tem pessoas que colecionam sonho e nunca desfrutam deles, mesmo com condições para isso”, diz Gustavo Cerbasi. É preciso sempre rever o prazer que você tira daquilo que consome, dando cada vez mais peso para os itens que estão no topo do ranking.

VOCÊ ESTÁ NO CAMINHO CERTO? Ir para casa com a sensação de realização depois do trabalho, se sentindo feliz consigo mesmo, conseguir um tempo para adiantar o trabalho do dia seguinte ou dar uma escapada mais cedo do trabalho para fazer alguma coisa legal são bons indícios de que você está no caminho certo. Na gestão fi nanceira, a soma do crescimento do seu patrimônio a cada três meses, o aumento de renda a cada dois anos e o aumento do consumo, juntos, mostram que você está prosperando.

fonte: Mais tempo e mais dinheiro