Kaspersky quer ser a maior do mundo em segurança em 2014

Novos produtos, posicionamento de marketing mais incisivo e fortalecimento de laços com o canal são a base

Chegar à posição número um em segurança digital no mundo, em 2014, foi o objetivo exposto pela Kaspersky em sua conferência anual de parceiros das Américas, que aconteceu de 11 a 14 de fevereiro, em Punta Cana, na República Dominicana. Antes disso, ainda em 2010, os anseios do CEO e co-fundador da companhia, Eugene Kaspersky, começam pelo interesse de levar sua empresa ao terceiro lugar.

Os caminhos a serem trilhados para tais objetivos vem sendo desenhados pela fornecedora russa e passam pelo investimento em equipe para aprimorar a gestão de canais, o marketing de campo e os treinamentos, nas palavras de Steve Orenberg, presidente da companhia para as Américas. “Especialmente na América Latina, precisamos disso”, enfatiza.

Um mergulho na identidade da empresa também foi usado como ferramenta para potencializar sua ida ao mercado. De uma pesquisa de mercado e com a participação de 21 países, com um ano de duração, a Kaspersky extraiu cinco atributos que designam a postura desejada pela empresa: expertise precisa, estar sempre à frente, ser diferente, foco em otimização e reafirmação. “Queremos estar entre as 100 marcas top do mundo em quatro anos”, acrescenta Randy Drawas, chief marketing officer para as Américas.

Munida de uma equipe com mais de 600 engenheiros, a corporação também mantém em sua rota os olhos no portfólio. Entre este ano e o ano que vem, chegam ao mercado novas soluções ligadas a serviços hosteados – uma aposta da empresa em termos de receita adicional ao parceiro -, software como serviço e soluções para Linux e Mac OS, entre outras novidades.

No que tange aos parceiros, a Kaspersky deixa claro que jamais pretende deixar de ser uma companhia 100% voltada ao canal. Nancy Reynolds, vice-presidente de vendas corporativas para as Américas, reforça a mensagem de uma comunicação mais intensa com a comunidade de vendas indiretas. “Estamos estudando a organização de um conselho de canais, para tornar a conexão com os parceiros mais efetiva e rápida na região”, diz, enfatizando o interesse em ser contatada pelos canais, a fim de atender a suas necessidades.

No curto prazo, a empresa deseja encerrar 2010 com receita 35% maior. Em 2009, o crescimento foi de 30% em receita, com um aumento de 45% no quadro de colaboradores, com grande foco em pesquisa e desenvolvimento; marketing de produto; e nos escritórios regionais.
A região das Américas, onde o investimento tem sido crescente, correspondeu a 26% dos negócios totais em 2009, contra 19%, em 2008, chegando à segunda posição em contribuição à receita

fonte: Kaspersky quer ser a maior do mundo em segurança em 2014