Karsperky alerta para evolução do malware móvel

Pesquisadores da Karsperky Lab anunciaram que no ano passado foram detectados cerca de 145.000 novos programas maliciosos para dispositivos móveis e que 98,1% de todo o malware móvel detectado era destinado a dispositivos com sistema operacional Android. Diante das análises, foi constatado que o número é mais que o dobro das ameaças móveis detectadas em 2012, quando foram descobertas ao todo 40.059 amostras de malware.

De acordo com os registros, os cibercriminosos utilizaram aproximadamente quatro milhões de aplicações maliciosas para distribuir essas ameaças e foi detectado um total de dez milhões de aplicações Android maliciosas entre 2012 e 2013. Os cinco países com maior número de usuários únicos atacados foram Rússia (40%), India (8%), Vietnã (4%), Ucrânia (4%) e Reino Unido (3%).

A maioria do malware móvel detectado em 2013 tinha como objetivo roubar dinheiro dos usuários. O número de modificações concebidas para phishing, de roubo de informação de cartões bancários e dinheiro das contas bancárias, cresceu quase 20%. Os invasores recorrem cada vez mais a um método de ofuscação, um ato deliberado de criar código complexo para que seja difícil de analisar. Quanto mais complexo for este método, mais tempo demorará uma solução antivírus a neutralizar o código malicioso e mais dinheiro poderá ser roubado às vítimas até à detecção.

As vulnerabilidades no sistema operacional Android e a sua crescente popularidade são os fatores mais importantes para explicar o aumento no número de Trojans bancários Android em 2013. Os cibercriminosos parecem ter uma verdadeira obsessão com este método de fazer dinheiro: no início do ano existiam apenas 64 Trojans bancários conhecidos, mas no final de 2013 os registos da Kaspersky Lab já contavam com 1.321 amostras únicas. Desde o dia 1 de Janeiro de 2014, os registos da Kaspersky Lab já contam com um total de 143.211 amostras de malware móvel.

Saiba mais em kaspersky