Holografia Tátil: conheça a tecnologia que revoluciona a interatividade

Se você já estava impressionado com a realidade aumentada, imagine se ela fosse sensível aos objetos e pessoas? Pois saiba que a tecnologia para isso já existe!

A popularização de tecnologias envolvendo gráficos, dimensões e webcams já é uma abstração bastante concreta para alguns usuários. Até pacotes de salgadinhos já trazem os códigos necessários para dar vida aos bonecos, carros, celulares e toda uma infinidade de gráficos em 3D para o seu lado na tela do computador. Tudo o que você precisa fazer para começar a entrar nesse mundo de capacidade infinita é um código impresso, uma webcam e um plungin – normalmente é o Flash Player.

Como você já acompanhou por outros artigos produzidos pela Equipe Baixaki, a Realidade Aumentada pode ser compreendida de várias maneiras. Contudo, se este é o seu primeiro contato com esse tipo de tecnologia, descubra as origens de tudo em dois artigos – “Como funciona a Realidade Aumentada” e “Novas Tecnologias: jogos interativos”. Em um terceiro, você fica sabendo como ter um monstro de três cabeças enfeitando a sua mesa. Porém, os jogos e outros tipos de usos conhecidos da Realidade Aumentada já estão quase virando história.

Hoje você só precisa de uma webcam e um plugin para ter a sua realidade aumentada!Enquanto a Realidade Aumentada comum é capaz de apenas reproduzir gráficos sobre a área do código, um novo tipo de interação se aproxima. As interações são imprescindíveis para tornar aquela projeção gráfica em algo um pouco mais real. Por isso, pesquisadores japoneses já vêm desenvolvendo uma tecnologia capaz de permitir a interação entre a pessoa e o objeto virtual.

Essa nova tecnologia está em fase de pesquisas na Universidade de Tóquio e utiliza ondas de ultrassom para fazer com que hologramas comuns possam interagir com pessoas e objetos do mundo real. A Realidade Aumentada 2.0, como está sendo chamada essa evolução, consegue captar movimentos e fazer com que o objeto virtual interaja com qualquer coisa externa a ele.

Ao contrário da Realidade Aumentada que conhecemos, a versão 2.0 ainda não poderá ser comercializada e distribuída aos usuários domésticos. Isso acontece porque para poder interferir na rota de um pequeno elefantinho virtual, por exemplo, é preciso estar equipado de uma placa de sensores táteis e dois controles de Nintendo Wii modificados para perceber a localização exata de onde o objeto (ou mão) está.

Assista ao vídeo a seguir para entender como o processo foi elaborado. As legendas estão em inglês, porém, é fácil de entender pelas imagens.

Mesmo que essa tecnologia ainda demore um pouco para chegar às casas dos usuários, seria muito interessante imaginar possibilidades para o uso dessa ferramenta. Acoplar a Realidade Aumentada 2.0 em dispositivos gráficos já disponíveis hoje no mercado pode ser uma excelente maneira de difundir o uso dessa tecnologia.