FortiGate 310B não deixa sua empresa travar

Appliance Fortinet tem antivírus e filtro centralizados, mas não empaca o departamento

 

Passar por um monte de regras de firewall dentro de uma empresa média ou grande não é uma tarefa instantânea mesmo para usuários autorizados. Principalmente numa companhia cheia de políticas de segurança. Os destaques do appliance FortiGate 310B, da Fortinet, são dois tipos de chips dedicados que desempacam a rede exatamente nessas horas — um faz gerenciamento de tráfego, outro é responsável pela análise do conteúdo.

Essa caixa é o que se chama da dispositivo multifuncional de segurança (ou UTM, a sigla em inglês). Ela reúne funções de antivírus, filtro de conteúdo, detector de intrusos e mais um monte de recursos avançados. Como a maioria dos equipamentos desse tipo, é preciso pagar uma licença para usar os programas de segurança. A lista de vírus é atualizada constantemente pela Fortinet e já conta com mais de 4 mil pragas cadastradas.

É possível aplicar uma série de filtros para bloquear conteúdos específicos e também dá para barrar informações que contenham palavras conhecidas por trazer ameaças. A proteção contra intrusos possui três modos de bloqueio: por assinatura, sensor IPS e sensor DoS. Todos eles têm regras mantidas pela Fortinet. Ou seja, o FortiGate 310B é um dispositivo para garantir segurança completa e não ficar se preocupando com atualizações. Mesmo assim, há dois pontos negativos: ele não funciona em conjunto com antivírus conhecidos e o analisador de logs é vendido separadamente.