Firefox 3.5.2 : produto se vende sozinho

Navegador lida muito melhor com as páginas que fazem o IE travar

Há algum tempo, a Honda usou o seguinte slogan “o carro que vende sozinho”; o Firefox poderia usar o mesmo. A melhor maneira de convencer alguém a usá-lo é deixando-o navegar. Veloz, estável, de boa aparência, personalizável, compatível – e a lista de adjetivos bons continua. E tem muito pouco a ser falar contra o Firefox uma vez que você se acostuma com ele.

Muito de como o Firefox conquista e mantém seus usuários fiéis se dá pela forma como o programa, sutilmente, melhora a experiência convencional de navegação.

Insira um endereço na barra de endereços, por exemplo. Conforme você digita, ele lista possíveis candidatos do endereço baseando-se no histórico e nos favoritos. Muitas pessoas acham que esse método ajuda a agilizar a navegação, já que é necessário digitar apenas as letras iniciais do endereço. São detalhes inteligentes como esse que mais duram e atraem.

Um dos grandes atrativos do Firefox é sua biblioteca tercerizada de add-ons. Eles transformam o Firefox em uma plataforma de aplicativo que permite que algumas funções, normalmente executadas em outros programas, sejam executadas diretamente no Firefox.

A Greasemonkey, por exemplo, te permite mudar a forma como as páginas da Web se comportam, rodando scripts personalizados. Eu usei Twitterfox, Yoono, FireFTP e NoScript em momentos diferentes e é muito fácil sobrecarregar o Firefox usando plug-ins e add-ons realmente úteis. (E no mesmo estilo, o Firefox lançou “skins”/temas chamados “Personas”).

Entre as versões 3.0 e 3.5, a equipe do Mozilla implementou um grande número de mudanças técnicas. Para o usuário final, elas se traduzem em renderização mais rápida, mais estabilidade e (o que é muito importante para a era da Web 2.0) execução mais rápida e inteligente de JavaScript. Eu mesmo notei isso em vários sites, o Firefox lida muito melhor com as páginas que fazem o IE travar. Portanto, não há quase nenhum motivo para que você não experimente o Firefox – mas duvido que você ainda não o tenha feito.

Um ponto potencialmente negativo do Firefox: o número ferramentas nativas para desenvolvedores é mínimo. O navegador funciona com um pouco mais que um console JavaScript e algumas janelas de erro. Porém, essa falta de funcionalidade é fácil de ser consertada graças a add-ons como o Firebug e o HTML Validator. Faz parte da filosofia do Firefox deixar esse tipo de coisa para produtos terceirizados e manter o produto central, relativamente, enxuto. É uma ideia simples

fonte: Firefox 3.5.2 : produto se vende sozinho

0 thoughts on “Firefox 3.5.2 : produto se vende sozinho