Dicas para tornar o data center mais eficiente – Gestão – CIO

A otimização dos custos com energia elétrica passa a ser uma preocupação das áreas de TI

Um relatório sobre eficiência, conduzido pela EPA – em agosto de 2007 – concluiu que se as empresas norte-americanas não mudarem o modo de projetar, construir e operar data centers, os gastos anuais com eletricidade nesse tipo de ambiente podem chegar a US$ 7,4 bilhões, em 2011.

O primeiro passo dos gerentes de TI para cortar custos de energia é conhecer a fundo o data center. Para tanto, vale partir de um cálculo do TCO (custo total de propriedade), que corresponde ao investimento para criar e manter a infra-estrutura e os sistemas, combinado aos gastos habituais de aquisição e de manutenção de hardware para operá-lo.

Outro ponto a ser cuidado na hora de otimizar os custos com data center é conhecer os gerentes de operação. Para Jonathan Koomey, cientista do Lawrence Berkeley National Laboratory, esse departamento, em geral, paga as contas de energia e, portanto, TI acaba não sabendo quanta energia consome com servidores e ar condicionado.

“TI é avaliada em função de métricas tradicionais como tempo de resposta e tempo de atividade, e não em termos de energia elétrica”, esclarece Chris Mines, vice-presidente sênior da Forrester Research. Contudo, a única forma de garantir mais eficiência nos ambientes é não dissociar os assuntos. “Sem um budget integrado, a empresa acaba gastando muito mais do que precisa”, observa Koomey.

Algumas melhorias são simples e custam muito pouco. Entre elas, Mines aconselha remover obstáculos à circulação de ar. Além disso, antes de investir em novos servidores, vale examinar se a disposição dos equipamentos pode ajudar dar mais eficiência ao ar condicionado. Nesse sentido, ferramentas de mapeamento térmico (vendidas por IBM e HP, entre outras) ajudam a detectar pontos quentes e frios no ambiente. Por outro lado, já existem empresas especializadas em realizar serviços de avaliação da eficiência energética.

O projeto de recolocação dos equipamentos precisa pode prever a implementação de sistemas de resfriamento em racks dispostos em fileiras – que permitem levar o ar frio apenas aos pontos quentes – ou a reorganização dos corredores de servidores, de modo que o ar frio seja direcionado aos locais quentes.

Por fim, a área de TI deve estar preocupado com o hardware. Ao reduzir, por meio de virtualização ou de consolidação de servidores, o número de máquinas que operam no data center, o consumo de energia será menor. Além disso, se os equipamentos que não estão sendo usados forem desligados, consegue-se uma redução de, em média, 10% a 30% nos gastos, de acordo com Ken Brill, diretor-executivo do Uptime Institute. “Uma grande empresa pode economizar US$ 250 milhões, ao melhorar o fluxo de ar, maximizar o ar condicionado e otimizar os servidores do data center”, defende Brill.

Outra dica é olhar com atenção a configuração dos servidores. “Não importa qual é o processador. Se a fonte de alimentação for mais eficiente, a empresa economizará energia”, aconselha Jonathan Koomey, cientista do Lawrence Berkeley National Laboratory.

fonte: Dicas para tornar o data center mais eficiente