Desoneração da folha é vitória para TI, diz Assespro

Nova política industrial substitui a tributação de 20% do INSS por 2,5% sobre o faturamento na indústria de software

A presidente Dilma Rousseff, em Brasília, o Plano Brasil Maior, que contempla as diretrizes da nova política industrial, tecnológica, de serviços e de comércio exterior do governo, entre outros incentivos atende a uma reivindicação antiga da indústria de Tecnologia da Informação (TI): a desoneração da folha de pagamentos.

A medida vislumbra a indústria de software que passa a ter a substituição de 20% da tributação do INSS na folha de pagamento por uma contribuição de 2,5% sobre o faturamento, tirando dos ombros dos empresários do setor o peso da contratação, estimulando o combate à informalidade.

“Agora poderemos acabar com a competitividade predatória internacional que avançava no mercado por não arcar com o mesma tributação que nós aqui no Brasil”, diz Luis Mario Luchetta, presidente da Assespro Nacional – Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação.

Segundo o executivo, “o governo corrigiu um erro de décadas”. Luchetta diz ainda que a desoneração foi o primeiro passo para que as empresas nacionais se preparem para ingressar, de fato, na era da inovação, como tem pregado o ministro da Ciência e Tecnologia Aloizio Mercadante.

“Para sermos inovadores, e ficarmos em linha com o mercado internacional, precisaremos de mais medidas, como transformar o desenvolvimento de software, por exemplo, em P&D, para absorvermos todos os benefícios e impulsionarmos a inovação”. “Mas, sem dúvida, hoje, foi uma grande vitória para o setor”, conclui.

fonte: Desoneração da folha é vitória para TI, diz Assespro