As 10 apostas do Google : Google Ventures

Carros verdes, anticorpos terapêuticos, games geolocalizados: esses e outros setores já fazem parte do portifólio da empresa. O que mais virá?


A empresa Google nunca foi discreta, mas mesmo pelos seus padrões a sua recente trajetória de investimentos e aquisições de startups é impressionante.A mesma  tem mantido um ritmo recorde de aquisições. Além disso, a empresa ajuda startups independentes com um novo fundo de investimentos chamado  Google Ventures .
Até agora, já investiu em dez empresas de setores tão distintos como pesquisa de anticorpos, redes de energia “verde”, carros e, claro, muitos serviços ligados à web. Ela não revela a quantidade de cada investimento, mas fornece uma breve descrição das razões que capturaram a atenção – e o dinheiro – da empresa.

As primeiras dez startups sortudas o suficiente para receberem investimentos valem uma olhada:

1:Adimab
A Adimab diz ter construído “a primeira plataforma de descoberta de anticorpos terapêuticos totalmente integrada”. Fundada por cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e da Universidade de Dartmouth, a Admab tem uma técnica que simplifica e acelera o processo de descoberta e otimização desses anticorpos, algo que geralmente leva tempo e exige o pagamento de royalties para terceiros. A Adimab colabora com a Pfizer, Merck e Roche em projetos de pesquisa.
2:Corduro
A Corduro fornece serviços de pagamento, incluindo pagamentos periódicos, para transações móveis, de varejo e na internet. “Nosso gateway para comerciantes que querem aceitar cartões de débito e crédito pela internet é uma solução ideal para aqueles que já tem uma conta para pagamentos, mas buscam o estado-da-arte da tecnologia”, afirma a empresa.

3:English Central
Com escritórios nos EUA e no Japão, a English Central produz um software de aprendizado de línguas que usa o conteúdo da web, como os discursos do presidente americano Barack Obama e clipes de filmes, para ensinar inglês. “Seu exclusivo software de aprendizado de línguas permite que os usuários ouçam a si mesmo e vejam onde cometem erros de pronúncia”, de acordo com a Google. Clipes de “Crepúsculo”, “Alice no País das Maravilhas” e um comercial de TV estão entre os vídeos usados para ensinar inglês.
4:OpenCandy
A OpenCandy fornece a empresas de software um plug-in que, embutido em seus instaladores, recomenda ao usuário outras aplicações enquanto o processo de instalação não termina. O processo oferece um jeito simples de baixar produtos de software adicionais, mas com um estilo “opt-in” que não faz o usuário perder tempo ou consumir largura de banda desnecessariamente. “Nós ajudamos desenvolvedores de software a ganhar dinheiro por meio da recomendação de software e por ajudar os anunciantes de software a alcançar novos usuários”, afirma a OpenCandy. No total, a empresa recebeu 5 milhões de dólares em investimentos, tanto da Google como de outros investidores.
5:Pixazza
A Pixazza é um serviço da web “que converte imagens estáticas em conteúdo interativo, revelando os ‘produtos na foto’ em sites populares da web”, de acordo com a Google. Concebido para editoras e anunciantes, as fotos que passam pelo tratamento da Pixazza são marcadas tal como ocorre no Facebook, mas as marcas (tags) levam a informações sobre os produtos e onde comprá-los.

6:Recorded Future
A Recorded Future tenta analisar o passado e o presente, e prever o futuro. Sua tecnologia de análise de dados extrai informações de eventos e tempos da web e pode prever o futuro de eventos, tanto no mercado de ações como de ataques terroristas. “Na Recorded Future, nós computamos um valor de momentum par cada entidade e evento em nossa base de dados”, explica a empresa. “O valor de momentum indica o interesse de um certo evento ou entidade num tempo específico, e é atualizado continuamente. Ao computar o valor de momentum, nós levamos em conta o volume de notícias sobre uma entidade ou evento, bem como as fontes nas quais foram mencionadas, que outros eventos e entidades foram mencionados com ela, e diversos outros fatores.”
7:SCVNGR
A SCVNGR é uma plataforma de “geogaming” que facilita a criação de “games móveis baseados em localização, tours, e experiências interativas que podem ser jogadas por qualquer um em qualquer dispositivo móvel”, afirma a empresa. Baseado na web, o kit permite que até quem não é técnico construa tais games, que podem ser jogados via mensagens de texto, navegadores móveis e por meio de apps para o iPhone e o Android. A SCVNGR recebeu 4 milhões de dólares da Google Ventures e de outros investidores.
8:Silver Spring Networks
A Silver Spring quer melhorar as redes de serviços públicos com hardware, software e serviços que reduzem as emissões de carbono e melhoram a eficiência operacional. As tecnologias da Silver Spring “conectam todos os aparelhos na grade”, criando uma “rede de comunicações sem fio que permite a aparelhos como medidores, controladores de gerenciamento de carga e aplicações veiculares comunicarem-se entre si e com a rede”, afirma a empresa.

9:VigLink
A VigLink ajuda os editoras online a ganhar dinheiro com links em seus sites, com um sistema baseado em comissão que remumera quando um usuário clica em um produto ou serviço e compra algo. O serviço funciona copiando e colando “um pequeno trecho de código em seu template de página” e pode ser experimentado livremente, mas a VigLink leva 25% de cada comissão.
10:V-Vehicle
A V-Vehicle foi fundada em 2005, mas seu site web está praticamente em branco – tem apenas um logotipo. “V-Vehicle é uma nova empresa americana de automóveis que concebeu um carro seguro, de alta qualidade, com consumo eficiente e bem equipado para o mercado americano”, afirma a Google. “Projetado e construído nos Estados Unidos, o V Car é um carro verde acessível para as massas”. No entanto, a V-Vehicle tem tido problemas financeiros, e passou recentemente por mudanças gerenciais.

Fonte: As 10 apostas do Google : Google Ventures